Noronha da Costa

Abril 2, 2016 Paleta

Obras do Artista

Curriculum

Noronha da Costa nasceu em Lisboa. Fez o curso de arquitetura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Expôs individualmente pela primeira vez em 1962 (Lisboa, Paris, Munique); em 1966 expôs no Salão de Maio, SNBA, Lisboa, e no ano seguinte realizou uma mostra individual na Galeria Quadrante, Lisboa. Em 1969 participou na Bienal de S. Paulo e foi-lhe atribuído o Prémio Soquil pela sua atuação na época de 1968-69; aos 27 anos de idade Noronha da Costa “reúne um consenso crítico e público muito alargado” no panorama artístico português.

Sensivelmente a partir de 1969 fixa os parâmetros da sua obra pictórica frequentemente realizada com pistola de spray. A orientação metafórica que caracteriza as pesquisas de Noronha da Costa traduziu-se numa pintura de imagens (por vezes copiadas de quadros clássicos) como vistas através de um écran desfocante. A indefinição da imagem é assim expressa, numa situação neorromântica que vai às fontes fantasmagóricas do surrealismo.
Na sua pintura veremos surgir, por exemplo, “mares solitários avançando sobre praias desertas, mulheres e crianças de penteados e vestidos oitocentistas, veleiros, céus cenográficos e de coloridos intensos.

A sua obra não se circunscreve às artes plásticas, estendendo-se à área do cinema: além de cinéfilo, foi cineasta, autor de alguns dos poucos e dos mais significativos filmes experimentais da vanguarda portuguesa.

Ao longo dos anos participou em inúmeras mostras coletivas, nomeadamente na Bienal de Veneza de 1970 (representação portuguesa), e Alternativa Zero (1977); expôs individualmente de forma regular em Portugal e no estrangeiro, destacando-se a retrospetiva de 1983 na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, e a exposição de 2003-04 no Centro Cultural de Belém, Lisboa.

Em 1999 foi-lhe atribuído o Prémio Europeu de Pintura pelo Parlamento Europeu e em 2003 venceu o Prémio AICA, Lisboa.

Ver Curriculumpdf-icon